Penya Barcelonista de Lisboa

diumenge, de maig 29, 2011

O Manchester United e a Europa caem aos pés do Barcelona



O Manchester United e a Europa caem aos pés do Barcelona
O Publico.pt



Tal como em 2009, o Barcelona venceu o Manchester United numa final da Liga dos Campeões. Tal como em 2009, Lionel Messi marcou no jogo decisivo. Tal como em 2009, Pep Guardiola ganhou o braço-de-ferro com Alex Ferguson. Foi com um 3-1 que os catalães asseguraram o quarto título europeu de clubes, ultrapassando nesta contabilidade o rival desta noite.

O United até começou melhor jogo. Alex Ferguson sabia que a única forma de travar o adversário passava por não o deixar respirar e o pressing no meio-campo catalão fez-se sentir durante os primeiros dez minutos. Evra e Valência surgiam rápidos nas alas, Ji-Sung Park ocupava bem os espaços no miolo e o Barça tinha dificuldade em ligar o jogo.

Mas aquele ritmo não poderia durar muito e, mal os ingleses afrouxaram, o Barcelona saiu da casca. A bola passou a rolar com o acerto que se reconhece à equipa de Guardiola e os jogadores do United começaram a desgastar-se mais defensivamente. Aos 15’, uma boa jogada de envolvimento atacante só não deu golo porque Pedro desviou para fora, à entrada da pequena área.

Aos 27’, porém, a história foi outra. Xavi mostrou os tradicionais dotes de pensador, esperou até à hora H e desmarcou Pedro com um passe magistral. A conclusão foi tão rápida quanto perfeita. 1-0 para o Barcelona.

Vida difícil para o United, em desvantagem frente a uma equipa que conserva a bola como nenhuma outra na Europa. Mas a resposta surgiria pouco depois. Após um lançamento lateral do Barça, Rooney partiu de trás com a bola controlada, tabelou, recebeu na área e rematou em arco para o poste mais distante: 1-1.

Estava animado o jogo, e especialmente Alex Ferguson, que acabava de relançar a partida. O Barcelona, no entanto, não se descompôs. Ao ritmo de sempre, continuou a tentar inventar espaços, a variar o flanco de jogo, a abrir brechas na muralha britânica.

E se até ao final do primeiro tempo não forçou muito, regressou do intervalo com mais dinâmica. E o United ressentiu-se. Iniesta e Xavi trabalhavam a bola com a mestria do costume, Messi fazia a diferença como de costume. Aos 53’, inventou um golo. Em frente à dupla de centrais, o argentino fez um drible e rematou forte de fora da área. Van der Sar não reagiu suficientemente depressa.

Desta vez, praticamente não chegou a haver reacção dos ingleses. Posse de bola para o Barça, domínio para o Barça, final para o Barça. O carrossel catalão continuou a girar e o United de cabeça a andar à roda. Messi desequilibrava onde quer que estivesse, Van der Sar ia fazendo o que podia – e pôde muito aos 65’, com a defesa da noite, a mais vistosa do último jogo da sua longa carreira.

Aos 70’, um minuto depois de Nani ser lançado no jogo, já não conseguiu parar o 3-1. Messi (quem mais?) rasgou por completo o lado esquerdo protegido por Evra, entrou na área, soltou para trás... A bola ficou órfã por uns segundos, mas iria parar aos pés de Villa, que, de fora da área, fez um golo de classe.

Por esta altura, já no banco do Manchester United se acenava com a cabeça, em sinal de desilusão. Rooney bem ia tentando remar contra a maré, mas a corrente gerada por Busquets, Xavi e Iniesta lá mais atrás ia chegando para as encomendas. Nani também ensaiou um raide pela direita aos 85’, mas o remate saiu frouxo.

Os adeptos blaugrana iam aplaudindo nas bancadas. E reforçaram a dose para aclamar Carles Puyol, que rendeu Dani Alves aos 88’. Foi um gesto simbólico, porque o internacional espanhol já nada acrescentaria ao jogo. Nem ele nem ninguém. O troféu estava entregue. E o Barcelona confirmava a sua terceira Liga dos Campeões nas últimas seis épocas.

Ficha de jogo
Barcelona, 3
Manchester United, 1

Jogo no Estádio de Wembley, em Londres.
Assistência cerca de 87.000 espectadores.

Barcelona Valdés, Dani Alves (Puyol, 88'), Piqué, Mascherano, Abidal, Busquets, Xavi, Iniesta, Pedro (Affelay, 92'), Messi e Villa (Keita, 86').

Manchester United Van der Sar, Fábio (Nani, 69'), Vidic, Ferdinand, Evra, Carrick (Paul Scholes, 77'), Valencia, Giggs, Park, Rooney e Chicharito Hernández.

Árbitro Viktor Kassai (Hungria).
Cartão amarelo Dani Alves (60'), Carrick (61'), Valencia (80') e Valdés (85').

Golos 1-0, por Pedro, aos 27'; 1-1, por Rooney, aos 34'; 2-1, por Messi, aos 54'; 3-1, por Villa, aos 69'

0 Comments:

Publica un comentari a l'entrada

Links to this post:

Crear un enllaç

<< Home