Penya Barcelonista de Lisboa

dilluns, de gener 10, 2011

FIFA Ballon d'Or Messi e Marta, heróis de uma noite histórica


FIFA Ballon d'Or
Messi e Marta, heróis de uma noite histórica

Não há melhor maneira de começar uma nova década do que com uma grande festa, mesmo que ela homenageie os méritos dos personagens que se destacaram no ano que acaba de terminar. Isso foi exatamente o que aconteceu no Kongresshaus de Zurique na noite do dia 10 de janeiro de 2011. A cerimônia da Bola de Ouro FIFA, nascida da fusão entre o Ballon D'Or da revista France Football e o prêmio Jogador do Ano da FIFA, reuniu a elite do futebol mundial para prestar um tributo aos melhores do esporte das multidões.

Os jornalistas esportivos Pedro Pinto, da CNN Internacional, e Carol Manana, da SAB Sports, foram os encarregados de conduzir o evento, que começou pontualmente às 18h30 (hora local) com as apresentações de Jeremy Lynch e William Wingroove, dois jovens malabaristas da bola que arrancaram os primeiros aplausos do público com uma impressionante disputa de acrobacias.

A seguir, o presidente da FIFA, Joseph Blatter, deu as boas-vindas aos presentes com um breve discurso e chamou ao palco François Morinière, diretor-geral da revista France Football, para que ele apresentasse um emocionante vídeo com os melhores momentos do futebol em 2010. Após relembrar o passado recente, veio a hora de olhar o que virá no futuro. Steffi Jones, presidente do Comitê Organizador da Copa do Mundo Feminina da FIFA Alemanha 2011, convidou o público a conhecer um pouco daquele que será um dos eventos de maior destaque deste ano.

A entrega dos prêmios começou logo depois. Primeiro, o inesquecível holandês Marco van Basten revelou os 11 nomes que compuseram a equipe ideal de 2010 e, assim, levaram o FIFA/FIFPro World XI. Iker Casillas, Gerard Piqué, Carles Puyol, Maicon, Lúcio, Wesley Sneijder, Xavi, Andrés Iniesta, Lionel Messi, Cristiano Ronaldo e David Villa foram merecidamente aclamados ao subirem ao palco.

Quem não gostaria de treinar um elenco como este? Qualquer um dos indicados a melhor técnico certamente adoraria. Porém, antes de conhecer os ganhadores desse prêmio, vivemos um momento especialmente emocionante. O ex-jogador sul-africano Lucas Radebe entregou o Prêmio FIFA Fair Play à seleção feminina sub-17 do Haiti pela coragem que o grupo demonstrou para continuar competindo apesar do sofrimento e da dor que teve de enfrentar após o devastador terremoto que assolou o país em janeiro de 2010.

Após essas emoções, veio o momento de revelar os vencedores de uma das novidades da reformulada cerimônia. Primeiro, Vicente Del Bosque entregou o prêmio de Treinadora do Ano da FIFA no Futebol Feminino à alemã Silvia Neid, que superou sua compatriota Maren Meinert (GER) e Pia Sundhage (SWE). A distinção ao Treinador do Ano da FIFA no Futebol Masculino foi para o português José Mourinho, que recebeu a honraria das mãos de Neid enquanto era aplaudido pelos seus dois concorrentes diretos: os espanhóis Vicente del Bosque e Pep Guardiola.

"Quero cumprimentar os dois grandes treinadores que estão aqui, Vicente Del Bosque e Pep Guardiola, e agradecer a todos os que me ajudaram neste caminho. Trabalhei muito para chegar aqui, mas não cheguei sozinho. Tive a ajuda de meus jogadores, muitos dos quais estão aqui hoje", agradeceu Mourinho, que ressaltou fazer questão de se dirigir ao público em língua portuguesa.

Blatter voltou então ao palco para entregar o Prêmio Presidencial da FIFA ao arcebispo sul-africano Desmond Tutu pela sua contribuição pessoal para que a Copa do Mundo da FIFA África do Sul 2010 fosse um grande sucesso. "Recebo este prêmio representando nosso belo povo, o povo da África do Sul", alegrou-se Tutu ao agradecer pelo troféu e parabenizar os organizadores da Copa do Mundo da FIFA de 2010.

Gols e talento
O auditório se animou com a exibição do vídeo com os dez gols que concorriam ao Prêmio Puskás da FIFA. O turco Hamit Altintop subiu ao placo para agradecer a escolha de seu golaço de voleio diante do Cazaquistão. Para sua surpresa, o troféu foi dado pelo próprio goleiro que sofreu o tento - Andrei Sidelnikov -, o que resultou num momento descontraído e divertido.

Antes do ápice da cerimônia, o cantor de jazz Jamie Cullum foi responsável pelo momento musical da noite. Quando o piano do inglês finalmente parou de soar, o nervosismo tomou conta de Fatmire Bajramaj (GER), Marta (BRA) e Birgit Prinz (GER), que viram o seu talento retratado em um vídeo que resumia o grande ano de 2010 que as três viveram. A ex-jogadora norte-americana Julie Foudy e o presidente Blatter foram os encarregados de entregar o prêmio de Jogadora do Ano, pela incrível quinta vez, à brasileira Marta, que ainda assim não parece ter se acostumado nem um pouco à sensação.

"Alguém me disse hoje que, se eu ganhasse, teria que chorar, porque senão a emoção não seria a mesma. E, pois, aqui estou eu de novo, chorando. Parece até ser bom demais para ser verdade. Só posso pedir a Deus que me dê saúde para seguir tendo essas oportunidades", isse uma emocionada Marta, com lágrima nos olhos.

A essa altura, faltava apenas o toque final ao magnífico evento. Após a apresentação de um vídeo que mostrava o impressionante talento que Andrés Iniesta (ESP), Lionel Messi (ARG) e Xavi Hernández (ESP) exibiram no ano passado, foi possível entender a dificuldade de escolher entre os três indicados à Bola de Ouro FIFA. François Morinière e Joseph Blatter fizeram o público segurar a respiração antes de revelarem o nome do ganhador: pelo segundo ano consecutivo, quem brilhou em Zurique foi Messi. Que, desta vez, porém, parecia mais surpreso do que nunca.

"Não esperava ganhar hoje. Já estava feliz por estar aqui com meus companheiros, e ganhar de novo faz deste um dia muito especial. Quero dividir o prêmio com meus companheiros, minha família e com todos os barcelonistas e argentinos", dissse Messi.

Todos os vencedores da noite subiram ao palco para receberem os merecidos e sinceros aplausos de um grande público, entre o qual estavam nomes ilustres como Michel Platini e Johan Cruyff. Desse modo, chegou ao fim uma intensa e emocionante cerimônia, na qual pudemos curtir momentos que já entraram para a história do futebol.

1 Comments:

  • Ano de Copa do Mundo tem peso, é diferente
    Na premiação da FIFA, o vencedor é quase evidente
    O eleito melhor jogador do futebol mundial
    Sempre levantou a taça do torneio principal

    Neste ano, Bola de Ouro acreditavam ter endereço certo
    Espanha campeã: vencedor em vermelho e amarelo
    Mas eis que um argentino quebrou a escrita pela 1ª vez
    Mesmo de azul e branco deu Messi. Assim se fez

    Melhor do mundo em duas oportunidades
    Tal qual o nosso Gaúcho, em momentos de saudade
    Impecável mesmo só Marta, brasileira e imbatível
    Cinco vezes consecutivas, simplesmente incrível

    Para técnico, outra derrota espanhola eu vi
    Nada de Del Bosque: Deu Mourinho, agora em Madri
    Apesar de não comandar na África nenhuma nação
    Venceu tudo o que pode pela Inter de Milão

    Na seleção mundial, tinha latino como nunca se viu
    Exceto o holandês Sneijder, que eliminou o Brasil
    Já o Barcelona, mesmo não sendo o grande da temporada
    Emplacou cinco jogadores, meio time, em uma só tacada

    (http://noticiaemverso.blogspot.com)

    By Blogger Notícia em Verso, at 3:24 a. m.  

Publica un comentari a l'entrada

Links to this post:

Crear un enllaç

<< Home